Beto Pereira diz que projetos impactantes para cidade serão “amplamente discutidos”

0

Pré-candidato à prefeito, o deputado mostrou apoio aos comerciantes da Bom Pastor e Três Barras

 

O deputado federal Beto Pereira (PSDB), pré-candidato à Prefeitura de Campo Grande, conversou com comerciantes das avenidas Bom Pastor e Três Barras, dois pontos emblemáticos da cidade.

O parlamentar assegurou apoio aos trabalhadores e empreendedores da Avenida Bom Pastor, reconhecida como o principal corredor gastronômico da Capital, e que a atual gestão quer impor uma revitalização nos moldes que ocorreu na Rua 14 de Julho, em que “matou” o centro da cidade e que levou ao fechamento de dezenas de lojas.

Beto assumiu o compromisso com os comerciantes de que projetos estruturantes para a cidade serão amplamente discutidos com a sociedade.

“Vocês testemunharam e acompanharam os transtornos causados pela obra na Rua 14 de Julho, incluindo a magnitude e complexidade da intervenção, que resultou no fechamento de diversos comércios.

Até o presente momento, a rua continua a sofrer as consequências daquela intervenção mal planejada”, lamentou.

Ele enfatizou a necessidade de considerar o cronograma, os dias e horários das intervenções, sempre levando em conta o impacto direto nos envolvidos.

O pré-candidato a prefeito destacou que tais decisões não devem ser tomadas de forma isolada, mas sim de maneira colaborativa e responsável.

“Se a intervenção na Avenida Bom Pastor for decidida, não tomarei essa decisão sozinho, mas sim de forma participativa.

Vou assegurar que a empresa licitada apresente um cronograma detalhado.

Também discutiremos os dias e horários das intervenções considerando os impactos.

Essa decisão não pode ser tomada apenas no gabinete, mas sim em conjunto com a comunidade, seja em qualquer obra de grande impacto a ser realizada em Campo Grande”, assegurou Beto.

Problemas que atingem a todos

Os comerciantes da Avenida Bom Pastor apresentaram suas preocupações, especialmente no momento em que estão se recuperando dos impactos econômicos da pandemia de COVID-19.

Eles solicitaram melhorias na infraestrutura da região, incluindo a possibilidade de tornar a avenida mão única para melhorar o fluxo de veículos, principalmente à noite, e as instalações de redes fluviais e de fiação subterrânea para tornar o ambiente mais agradável.

Além disso, expressaram preocupação com o aumento do número de moradores de rua na área, que têm buscado alimentação no local.

“Nós não podemos mais cometer erros.

A cidade de Campo Grande não tolera mais dificuldades desse tipo.

As consequências, como a falta de crescimento e os problemas acumulados ao longo do tempo, estão começando a se manifestar e impactar diretamente a nossa comunidade”, apontou o pré-candidato.

Beto destaca que as deficiências no serviço público afetam todas as classes sociais.

Ele exemplifica a situação de um funcionário que não tem acesso a uma escola de período integral para seus filhos.

O pré-candidato aponta a contradição existente entre o ensino público estadual, que opera com 50% de escolas em funcionamento em período integral, e o sistema municipal, em que apenas 6 das 100 escolas oferecem essa modalidade.

Beto enfatiza a necessidade de inverter a situação desfavorável na qual os empreendedores se veem obrigados a ficar “de pires na mão”.

Em vez disso, é preciso um ambiente propício para estimular novos investimentos e reduzir a burocracia relacionada a serviços como a emissão de habite-se, alvarás, entre outros procedimentos administrativos.

Fonte: Rogério Vidmantas
Capital News

Artigo anteriorCurso de Agronomia teve mais uma turma com apresentações ao público de Mundo Novo
Próximo artigoParlamentares aprovam projeto que incentiva a contratação de vítimas de violência doméstica

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui