Produção ofensiva, ajuste defensivo e ajuda aos garotos: veja desafios de Lisca no Santos

0

Recém-anunciado como novo técnico do Santos, Lisca terá a missão de tentar reerguer o clube após uma série de resultados negativos na temporada, incluindo as eliminações na Copa do Brasil e Sul-Americana. Para isso, ele terá que corrigir alguns problemas que o Peixe vem apresentando.

Falta de criatividade

Uma dificuldade evidente no momento é de construir jogadas ofensivas. O clube sofre muito para levar a bola até os atacantes. Um fator que pode explicar isso é a falta de um camisa 10. A aposta da diretoria para função no começo do ano foi Ricardo Goulart, mas o atleta de 31 anos rescindiu o seu contrato no começo do mês.

Com isso, quem vem ganhando cada vez mais chances é Bruno Oliveira. Emprestado pela Caldense, o garoto vem recebendo elogios da torcida e a tendência é que ele cresça ainda mais com a chegada de Lisca. Em coletiva, o treinador elogiou o meia, mas alegou que ele está mal posicionado.

“O Bruninho pegou a bola no pé do zagueiro, atrás dos volantes. Temos que pegar a bola em vantagem posicional ao adversário. Temos que criar situações para a bola chegar com qualidade, atrair adversário, encontrar espaços e quebrar a última linha”, disse.

Dessa forma, o Santos abusa das jogadas pela beirada do campo. A grande aposta para quebrar a marcação é o jovem Ângelo. Acontece que o garoto não vive grande momento e vem encontrando dificuldades para levar perigo.

Ansiedade

Outro ponto que chama a atenção dentro de campo é a ansiedade dos jogadores. Quando tem o domínio da posse de bola, o Peixe tem dificuldades para manter a calma e achar o passe certo. Os santistas buscam resolver a jogada rápido, mas pecam muito nas tomadas de decisões.

Após o jogo contra o Botafogo, na quarta-feira, o próprio Lisca já identificou este aspecto. Ele, inclusive, já conversou com o auxiliar Marcelo Fernandes sobre o tema.

Posicionamento defensivo

No setor defensivo, o novo técnico também terá que corrigir algumas coisas. Uma delas é o posicionamento dos defensores. No triunfo de 2 a 0 sobre o Botafogo, por exemplo, os jogadores cariocas encontraram muitos espaços entre a linha de zaga e os volantes.

Em diversas oportunidades os meias e os atacantes do Glorioso receberam a bola com liberdade, de frente para a meta de João Paulo, que foi obrigado a realizar boas defesas.

Esse problema, aliás, não é recente. Desde que Carille estava no comando já era evidente os buracos na defesa. Com a chegada de Fabián Bustos, o time até passou a se defender melhor, principalmente após a contratação de Rodrigo Fernández. Nos últimos jogos, porém, a linha defensiva voltou a dar dor de cabeça aos santistas.

Trabalho com os garotos

Por fim, outro ponto importante que Lisca precisará olhar com cuidado são os Meninos da Vila. Devido a falta de verba para trazer reforços, o elenco do Santos é recheado de garotos, seja no time titular ou no banco de reservas.

Acontece que o momento dos jovens não é muito bom. Com exceção de Marcos Leonardo – artilheiro da equipe na temporada -, o restante ainda luta para emplacar uma sequência positiva.

No momento, o jogador que parece mais demandar atenção é Ângelo. Após se destacar na última temporada, o camisa 11 está encontrando dificuldades para brilhar neste ano. Na visão do treinador, o atacante precisa retomar a sua confiança para voltar a jogar bem.

“Confiança não tem que falar, tem que mostrar. O grupo tem que dar a bola de novo para ele e confiar. Ele é extraordinário, extremo de pé invertido e futebol valoriza muito isso. Tem muita coisa para ele aprender e vou ajudar muito ele e todos os outros. O Lucas, o Seco, o Balieiro e todos que fazem parte do plantel. É potencializar a qualidade e dar confiança para o entendimento de jogo coletivamente. Ele individualmente é bom, mas o contexto coletivo é importante. A Europa está de olho há muito tempo”, analisou.

O primeira desafio de Lisca será neste domingo, às 19 horas (de Brasília), fora de casa, contra o Fortaleza, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após este jogo, ele terá sete dias de apenas treinamentos para tentar implementar as suas ideias no clube antes de enfrentar o Fluminense, na Vila Belmiro.

 

 

 

Fonte: Gazetaesportiva.net

 

 

 

Fonte: Gazetaesportiva.net

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui