MDB, PSDB e Cidadania vão à convenção dia 27 por candidatura de Simone Tebet

0
Simone Tebet (MDB-MS), candidata ao Planalto (Foto: Ed Alves/CB)

Assim como o MDB, o PSDB confirmou para o dia 27, às 11h, a convenção nacional da federação com o Cidadania para chancelar a chapa da terceira via. Os delegados tucanos vão ratificar o nome da senadora Simone Tebet (MDB-MS) à Presidência da República, com o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) como candidato à vice.

O edital de convocação, assinado pelo presidente da legenda, Bruno Araújo (PE), avisa que a votação se dará em sistema misto: presencialmente, na sede do PSDB, em Brasília — que também abriga a coordenação da federação —, ou virtualmente, por meio de uma plataforma específica na internet.

Apesar do apoio da cúpula da tríplice aliança, Tebet sabe que não terá unanimidade. Tanto o partido dela, o MDB, quanto o PSDB têm alas dissidentes. Entre os tucanos, a chapa da terceira via é rejeitada pelo grupo liderado por Aécio Neves (MG), que defendia candidatura própria do partido, desde que não fosse o ex-governador de São Paulo João Doria, que acabou abandonando a disputa interna. Mas essa ala não vai pôr obstáculos à homologação da coligação com o MDB.

A oposição mais barulhenta é a que defende, no MDB, a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Independentemente do resultado das convenções, o grupo, liderado pelos senadores Renan Calheiros (AL), Veneziano Vital do Rego (PB), Eduardo Braga (AM) e pelo ex-senador Eunício de Oliveira (CE), seguirá fazendo campanha para o petista.

Os dissidentes até tentaram adiar a data da convenção para mais perto do prazo final dado pela Justiça eleitoral, em 5 de agosto, mas a reação do presidente do partido, deputado Baleia Rossi (SP), foi rápida no sentido de manter a data acordada com os tucanos. Representantes da ala lulista chegaram a pedir, na terça-feira, a ajuda ao ex-presidente Michel Temer, um dos mais influentes caciques da legenda, para que intermediasse um acordo que evitasse a indicação de Tebet na semana que vem. O grupo sabe que não tem votos suficientes para abater a coligação com o PSDB e o Cidadania, mas esperava ganhar tempo para angariar mais reforços.

Ontem, Baleia foi ao escritório de Temer, em São Paulo, como um gesto de apreço ao “grande conselheiro e amigo de longa data” e, também, para apresentar dados de pesquisas internas do partido que mostram “forte potencial de crescimento” da candidatura de Tebet, de acordo com postagem em sua conta no Twitter.

 

(Com Correio Braziliense).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui