Projeto de lei visa fomentar a inclusão social e ambiental de jovens

0
Foto: Wagner Guimarães

O deputado estadual Lucas de Limas (PDT) apresentou o Projeto de Lei 154/2022 que cria o programa “Agente Jovem Ambiental – AJA” voltado para a inclusão social e ambiental de jovens em situação de vulnerabilidade social. De acordo com a justificativa, o programa objetiva capacitar os jovens para promoção da educação ambiental, incentivar a participação dos mesmos em suas comunidades, buscando conscientizar a população local da importância da sustentabilidade ambiental e qualificar esse público alvo por meio de ações socioambientais.

“O Agente Jovem Ambiental buscará qualificar esses jovens para que depois de formados, possam atuar e participar de ações socioambientais em suas comunidades. É muito mais que a mera transmissão de conhecimento e de educação ambiental, é a fomentação da socialização em diversos espaços, nos mais diversos contextos, considerando-se a cultura e as especificidades de cada região, vez que utilizam os jovens da própria comunidade para a execução do programa”, destacou o parlamentar.

Segundo o deputado Lucas de Limas, o estudante atuará na promoção de ações ambientais em espaços públicos. “O jovem, em especial, buscará colaborar para conservação da biodiversidade do Estado do Mato Grosso do Sul, mediante a execução de ações que promovam, respeitem e valorizem os recursos naturais e ecossistemas, bem como realização de atividades e florestamento, de proteção de éspecies da fauna e flora e de manejo sustentável nos espaços naturais”, explicou.

O projeto é destinado aos jovens com idade entre 15 e 29 anos, integrantes de famílias cadastradas no Cadastro Único para Programas Sociais e regularmente matriculados na rede pública de ensino. Conforme a matéria, a execução, coordenação e monitoramento do programa serão atribuições da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro). O jovem atendido pelo programa será qualificado como Agente Jovem Ambiental – AJA.

 

Por: Aline Kraemer

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui