Eduardo Riedel diz que Mato Grosso do Sul caminha para ser o 1º do país em saneamento

0
Assessoria

Ex-secretário estadual de Infraestrutura e pré-candidato do PSDB ao governo, Eduardo Riedel, pretende fortalecer parceiras com a iniciativa privada para o financiamento de projetos de saneamento em Mato Grosso do Sul, levando o estado a ser o primeiro do país a universalizar o serviço em um prazo de dez anos.

 

Riedel ocupou as secretarias de Governo e Infraestrutura durante as duas gestões de Reinaldo Azambuja e teve papel fundamental na ampliação dos investimentos da Sanesul no setor. “Saneamento básico é sinônimo de dignidade. Por isso, nos próximos anos, uma de nossas prioridades será a universalização do sistema em todo o Mato Grosso do Sul. Faremos isso com gestão moderna, investimentos e vontade política”, afirma.

 

A ideia é que nós próximos dez anos, o Estado tenha orgulho de ser o primeiro do país a ter 100% de coleta e tratamento do esgoto sanitário, atingindo assim a universalização do saneamento básico. “E vamos continuar andando nesta direção a partir de 2023”, diz o pré-candidato. Atualmente, a área de cobertura do esgoto é de 58%, mas a Sanesul trabalha para cumprir a meta estabelecida pelo governador Reinaldo Azambuja, que é universalizar o esgoto doméstico no Estado, se antecipando ao que determina o novo Marco Legal do Saneamento Básico.

 

A empresa investiu até agora R$ 527 milhões em obras nos sistemas de abastecimento de água tratada e esgotamento sanitário no Estado. Os investimentos fazem parte da ‘Rota do Saneamento’, programa criado pela Sanesul e que desde julho de 2021 percorre o Estado entregando obras de água e esgoto como parte do planejamento estratégico estabelecido por Riedel, quando integrava o Governo do Estado. Em sua maioria com recursos próprios, por meio do programa Avançar Cidades, os investimentos estão mudando a realidade socioeconômica dos municípios e garantindo mais saúde e melhoria da qualidade de vida às pessoas dos municípios onde a estatal mantém a concessão dos serviços públicos.

 

Outros investimentos são com verbas de parcerias institucionais, incluindo a Funasa (Fundação Nacional de Saúde) e por indicação de emendas parlamentares como parte do orçamento da União. “É fundamental termos a capacidade de atrair e angariar recursos para esta área. E vamos fazer isso”, assegurou Riedel.

 

Mais de 50% dos municípios de Mato Grosso do Sul avançam na universalização dos serviços de esgotamento sanitário. Entre os municípios que avançam no setor estão Três Lagoas, com 99% da área de cobertura, Bonito (96,61), Japorã (96,83), Ponta Porã (95,08), Paranaíba (99%), Porto Murtinho (92,30%), Tacuru (91,71%), Ribas do Rio Pardo (88,27%), Bodoquena (84,85%) e Paranhos (84,64%).

 

 

 

Fonte: CapitalNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui