Entenda por que a moda genderless é um sinônimo de liberdade

0
Sem definições de uma construção social, esse tipo de estilo tem como objetivo a liberdade de escolha - Imagem: iStock

Você já ouviu falar da moda genderless? Bem, se não, é mais fácil entender seu principal objetivo: esse novo estilo consiste em trazer um look que não tem um gênero definido, ou seja, não pode ser considerado nem feminino e nem masculino. O intuito é deixá-lo neutro, para que qualquer pessoa se sinta confortável para usá-lo.

Em resumo, a moda genderless retira algo que a sociedade como um todo vem marcando e estipulando desde bebê: algumas vestimentas são “coisa de menino” e outras são “coisa de menina”. Esse pensamento, que acaba restringindo o acesso à liberdade de estilo, também faz com que milhares de pessoas se sintam desconfortáveis com a forma de vestir que lhes foi imposta. Afinal, o que há de errado em um homem usar saia ou uma mulher usar um paletó?

A revolução vem justamente no princípio da coisa. A moda genderless chegou para combater estereótipos e extinguir essa necessidade de binariedade. E engana-se quem pensa que ela é pautada apenas em cores básicas: a parte de ser neutro não tem nada a ver com o cinza ou bege, mas com a fluidez de gênero – que é muito aliada, inclusive, das pessoas não-binárias ou gender-fluid, que fazem parte da sigla LGBTQIA+.

Celebridades que aderem ao estilo genderless
O importante aqui é encontrar um estilo que não seja nem um pouco preso ao gênero, como já fazem algumas das grandes celebridades mundo afora. O cantor e ator Harry Styles, por exemplo, está entre os famosos que aderem frequentemente ao estilo. É comum vê-lo em tapetes vermelhos com vestidos e outras roupas consideradas femininas, e recentemente, o artista lançou sua própria marca de esmaltes de unha – outro detalhe que sempre está presente em seu estilo.

Outra famosa que também adere ao estilo é a cantora Billie Eilish, que aparece em entrevistas, clipes e premieres vestindo roupas largas e consideradas masculinas. O estilo “tomboy”, conta ela em inúmeras entrevistas, vem tanto para pensar no conforto, quanto para questionar a sexualização dos corpos femininos.

Independentemente da forma como a pessoa se identifica, o guarda-roupa desse estilo tem o intuito de abrigar qualquer tipo de vestimenta. Para entrar no ideal, basta usar uma roupa que não necessariamente tenha um contexto social construído para um determinado gênero. Isso significa, inclusive, misturar peças antagônicas, como um homem usando uma saia, salto alto, camisa, paletó e acessórios.

Para transformar um guarda-roupa e trazer peças genderless, um dos passos mais importantes é ir às compras sem definição de gênero: não se prenda à ala masculina ou feminina; procure uma roupa confortável e que caia bem, independentemente de onde ela está posicionada. Um estilo genderless pode ser tanto um vestido com um paletó, quanto um smoking com relógio masculino, colares, anéis e salto alto.

 

 

 

 

Fonte: CapitalNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui