Feminicídio: Mulher morre na Santa Casa após ser esfaqueada quatro vezes pelo ex-marido

0
Eloisa Rodrigues de Oliveira, de 36 anos, mais uma vítima de feminicídio em Campo Grande (arquivo pessoal)

Eloisa Rodrigues de Oliveira, de 36 anos, mais uma vítima de feminicídio em Campo Grande, morreu na Santa Casa após levar quatro facadas do ex-marido na noite desta quinta-feira (17) em Campo Grande. O autor, identificado como Fabiano Quirino dos Santos, está foragido.

Fabiano está foragido

 

Eloisa foi socorrida ensanguentada na noite dessa quarta, no bairro Parque do Lageado, em Campo Grande, após ser esfaqueada quatro vezes por Fabiano. A vítima, atingida com golpes no abdômen, foi encaminhada para a Santa Casa onde morreu no início da tarde desta quinta.

O crime aconteceu por volta das 20 horas, quando uma vizinha ouviu gritos de socorro e saiu para ver o que estava ocorrendo e viu a mulher ensanguentada na rua. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e a vítima levada desorientada para a Santa Casa.

Segundo a vizinha que ajudou a socorrer a vítima, ela teria contado que o autor era o ex-marido, que não até o momento não foi localizado pela polícia, já que fugiu logo após o crime.

Ela já havia registrado um boletim de ocorrência contra o ex-marido quando ainda estavam casados por agredi-la com socos e chutes. O caso foi registrado na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

Feminicídios

Mato Grosso do Sul e Campo Grande já registraram vários casos desde o início do ano. Em 2021, MS teve 34 feminicídios, segundo dados da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), sendo 32 deles no interior e dois na Capital.

Em Campo Grande neste ano, Silvana Domingos dos Santos, de 31 anos, foi a primeira vítima de feminicídio. Assassinada dentro de sua casa, onde morava com os dois filhos no Jardim Los Angeles, no dia 17 de agosto, ela foi morta por um “desacordo comercial” com o autor, e a família ainda teve de enfrentar a revitimização de Silvana, após informações de que ela seria garota de programa.

Também na Capital, Natalin Nara Garcia de Freitas, de 22 anos, foi morta pelo marido, o 2º sargento da Aeronáutica, Tamerson Ribeiro Lima, de 31 anos. Outro caso violento que ocorreu em Campo Grande, foi de Francielle Guimarães Alcântara, que morreu após ser mantida em cárcere e sob tortura do marido, Adailton Freixeira da Silva. Maria do Carmo Brasil, de 72 anos, também foi morta em Campo Grande. O autor, neste caso, era o próprio filho, um sargento aposentado do Exército Brasileiro, identificado como Edilson Donato Nolasco, de 51 anos. E

Já no interior, a polícia já registrou vários casos como de Taquapery Maristela Lescano, 34, em Coronel Sapucaia; Elisiane Ferreira da Silva Alves, 39, em Chapadão do Sul; Laís de Jesus Cruz, de 29 anos, em Sonora; Felipa Moreno Ojeda, de 33 anos, em Ponta Porã; Mariana de Lima Costa, de 29 anos, em Anastácio; Paulina Rodrigues, de 103 anos, foi assassinada em Tacuru; Rose Paredes, de 39 anos, em Bandeirantes; Marta Gouveia dos Santos, de 37 anos, foi morta de forma premeditada pelo filho, Matheus Gabriel Gonçalves dos Santos, em Nova Andradina; Vitoria Caroline de Oliveira Honorato, de apenas 15 anos, em Ivinhema, e Luana Alves Furtado, de 29 anos, em Costa Rica.

 

 

 

Fonte: MidiaMax

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui