Ronaldo Fenômeno ameaça pôr o Cruzeiro sub-20 para disputar o Mineiro

0
Ronaldo como dirigente é muito diferente do carismático, alegre e generoso jogador AFP

Ronaldo dentro do campo foi fantástico.

Seu talento o fez ganhar três vezes o troféu da Fifa.

Esteve entre os três finalistas cinco vezes.

Se em 1994 não entrou em campo, em 2002 foi protagonista.

Tudo isso dentro das quatro linhas.

 

Agora, fora, viveu inúmeras polêmicas.

Que envolvem escândalos com acusações de ser cliente de uma rede de prostituição de luxo na Itália; flagrante policial com três travestis trancados em um motel no Rio de Janeiro; uma farra memorável no Corinthians, com prostitutas, em Presidente Prudente.

Final de carreira com uma barriga enorme, para um jogador de futebol, no Corinthians. Ameaçado pela própria torcida, junto com seu parceiro Roberto Carlos, depois da eliminação da “pré-Libertadores” para o Tolima, em 2011.

Ronaldo e o banido Ricardo Teixeira. Ex-jogador queria apoio do dirigente para presidir a CBF
Ronaldo e o banido Ricardo Teixeira. Ex-jogador queria apoio do dirigente para presidir a CBF CBF
Aliado de Ricardo Teixeira, sonhava em comandar a CBF.

Depois de Teixeira entregar o cargo às pressas, Ronaldo perdeu poder e apoio. Ainda mais após o fiasco da seleção em 2014, com direito ao inesquecível 7 a 1 para a Alemanha.

Carismático, conseguiu “anular”, fazer com que todos se esquecessem desses “detalhes”.

Um dos primeiros jogadores midiáticos do mundo, sua fortuna beira o bilhão de reais.

Comprometeu parte dela ao comprar 51% do Real Valladolid, da Espanha, por 30 milhões de euros, cerca de R$ 165 milhões, em 2018.

No Brasil, decidiu comprar 90% do Cruzeiro. Colocará R$ 400 milhões.

Como dirigente no Valladolid, Ronaldo já começou a mostrar seu lado sombrio.

Acusado pela imprensa espanhola de ditatorial, só pensando em dinheiro. Frustrando quem sonhava com investimentos em contratações que pudessem fazer a equipe parar de lutar entre as últimas. O rebaixamento neste ano.

Ronaldo anda com seguranças na Espanha. Valladolid rebaixado para a segunda divisão
Ronaldo anda com seguranças na Espanha. Valladolid rebaixado para a segunda divisão AFP
No Cruzeiro, Ronaldo tratou de desprezar acordos feitos pelo presidente Sérgio Rodrigues. Com a Comissão Técnica de Vanderlei Luxemburgo. Com jogadores como o goleiro e ídolo Fábio. Com o executivo Alexandre Mattos.

Usando a força do seu dinheiro, montou o time que quis, escolheu o ex-jogador e amigo Paulo André como executivo de futebol. E apostou no treinador uruguaio Paulo Pezzolano.

A equipe cruzeirense é competitiva. Para a segunda divisão. Não para a Série A. Faltam jogadores com talento. Ronaldo sabe disso. Só que antes da luta para o retorno à primeira divisão há o Campeonato Mineiro.

E o principal rival é justamente o campeão do Brasil, da Série A. Ganhador também da Copa do Brasil. Semifinalista da Libertadores. O Atlético Mineiro.

E, como no Valladolid, Ronaldo apela para tudo que tem nas mãos como dirigente, para exigir  que tudo seja feito do “seu jeito”.

A derrota do seu Cruzeiro, de virada, por 2 a 1, para o Atlético Mineiro o deixou exasperado.

Usou como desculpa um pênalti de Lucas Oliveira em Hulk para não só criticar como ameaçar a Federação Mineira de Futebol.

Como mau perdedor, Ronaldo avisa que estuda pôr o Cruzeiro sub-20 para disputar o Mineiro dos próximos anos. O que seria “matar” de vez a competição, já que Atlético e Cruzeiro estão acima dos demais, apesar do ótimo momento do América Mineiro.

“Se as coisas não têm sinais de melhoria, a gente vai partir para um cenário onde a gente vai esvaziar essa competição. Como outros clubes fazem em outros estados. Jogar com time sub-23 ou sub-20.”

“Não queremos chegar a esse ponto, porque nosso compromisso é com o torcedor. Mas, se não houver melhorias para o futuro, a gente entende que tem que se preparar para as competições que realmente vão importar para a gente.”

“Seja Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro, mas a gente entende que o Campeonato Mineiro tem muito a melhorar. Muito a melhorar, repito. Muito para melhorar”, criticou o dono do Cruzeiro.

Ronaldo quer usar a conquista do Mineiro para atrair patrocinadores, investidores

Ronaldo quer usar a conquista do Mineiro para atrair patrocinadores, investidores

GUSTAVO ALEIXO/CRUZEIRO

A primeira providência que ele exige é a implementação de VAR, árbitro de vídeo, em todo o torneio estadual.

“O árbitro tem o direito de errar, mas ele não é diretamente o responsável por isso. A Federação Mineira precisa ter muito mais critério na hora de prepará-los. E, em um jogo importante como esse, uma das falhas mais graves é não ter o VAR.”

“Como se coloca um jogo tão importante, um clássico, Mineirão lotado, e não tem o VAR? Por uma economia, pasmem, de R$ 60 mil.”

“A Federação arrecada muito bem pelo Campeonato Mineiro, é uma economia burra não ter o VAR”, desabafou, em tom ameaçador.

Paulo André foi ex-jogador do Athletico Paranaense.

E sabe do estrago para o torneio quando a equipe atuava com sub-23 no estadual.

Ronaldo sabe a força de sua ameaça.

Este é o lado sombrio do Fenômeno…

 

 

 

Fonte: R7.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui