Propostas visam direito das mulheres, saúde mental e instituir projetos no Estado

0
Foto: Luciana Nassar

O deputado estadual Antonio Vaz (Republicanos) apresentou oito propostas nesta terça-feira (7). O Projeto de Lei 374/2021 dispõe sobre a instituição de cursos gratuitos destinados à mulher gestante, sobre cuidados e atendimentos emergenciais a crianças de zero a seis anos.

Os cursos deverão ser ministrados em hospitais e postos de saúde da rede pública estadual, durante o período do pré-natal, por equipes interdisciplinares das áreas de medicina, nutrição, enfermagem, psicologia e serviço social. “Ressalta-se que é de relevante interesse público a instituição de medida preventiva, educativa e esclarecedora às futuras mães sobre os cuidados essenciais com a própria gestação e com a criança nos primeiros anos de vida”, disse o autor.

Projeto de Lei 375/2021 inclui a disciplina de Educação Digital na grade complementar do currículo do ensino fundamental e médio nas escolas públicas estaduais. A inclusão da disciplina será estabelecida de acordo com o conteúdo programático, respeitados os níveis de cada ensino e série, bem como a respectiva carga horária.

Projeto de Lei 376/2021 institui a semana de Incentivo à Adoção Tardia, a ser comemorada anualmente na primeira semana do mês de setembro. O principal objetivo é estimular a adoção de crianças e adolescentes que estão acima da faixa etária considerada pelos candidatos à adoção.

Projeto de Lei 377/2021 institui a Semana de Incentivo à Participação da Mulher no Processo Eleitoral, a ser realizada anualmente na primeira semana do mês de maio, no âmbito de Mato Grosso do Sul. O objetivo é incentivar a promoção de atividades voltadas à integração da mulher sul-mato-grossense no processo eleitoral. O poder público poderá – em parceria com entidades, associações e grupos socialmente envolvidos com a causa – promover campanhas, pesquisas e outras atividades.

“A ausência ou presença reduzida de mulheres em cargos de gestão pública e legislatura é uma ameaça à democracia e devemos enxergar a participação feminina como uma medida imprescindível para melhorar a eficácia de políticas públicas”, defendeu o autor.

Projeto de Lei 378/2021 institui o Programa de Atenção às Vítimas de Estupro, com objetivo de dar apoio e identificar provas periciais. O programa será implantado nas Delegacias de Polícia, inclusive nas Delegacias de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso de Mato Grosso do Sul, em ação conjunta com os Centros de Referência de Assistência Social (Cras), os Centros de Assistência Especializados de Assistência Social (Creas) e Centros de Referência de Atendimento à Mulher do Estado de Mato Grosso do Sul.

Já o Projeto de Lei 379/2021 institui o Projeto Cuca Legal, a ser desenvolvido em parceria entre as Secretarias de Educação (SED) e Saúde (SES) de Mato Grosso do Sul, voltado para os cuidados, proteção e ações preventivas relacionadas à saúde mental da população. A coordenação, planejamento, implantação, monitoramento e operacionalização das ações do projeto serão realizados pela SED, de forma articulada com a SES.

“Apesar dos avanços recentes ocorridos na área, ainda há muito a se avançar no sentido de garantir que toda a população possa desfrutar de políticas de longo alcance. O projeto que propomos aqui visa preencher tais lacunas e avançar no sentido de universalizar o acesso aos serviços de prevenção, tratamento e promoção da saúde mental”, justificou Vaz.

Projeto de Lei 380/2021 obriga a disponibilização, em emergências de unidades de saúde, públicas e privadas, do telefone e do endereço do plantão Judiciário mais próximo. O contato deve estar em local de fácil visualização para o cidadão usuário do respectivo serviço. “Com a presente proposição pretendo, portanto, facilitar o acesso à justiça ao cidadão que achar que está tendo seus direitos violados por parte da respectiva unidade de saúde. O cidadão tem direito de saber o local onde reivindicará os seus direitos”, disse o parlamentar.

Por fim, o Projeto de Lei 381/2021 institui o Selo Amigo do Produtor Sul-mato-grossense, destinado aos estabelecimentos comerciais que adotem política interna permanente para estimular a venda de produtos genuinamente sul-mato-grossenses. “Com isso, poderemos cada vez mais mostrar a qualidade do nosso agronegócio, estimulando o consumo e colocando em evidência as empresas que nos ajudam neste objetivo”, afirmou Vaz.

 

Por: Evellyn Abelha

Artigo anteriorAberto processo seletivo para contratação temporária de profissionais da saúde
Próximo artigoBoa execução de convênio por Mundo Novo deve render parceria recorde com Itaipu Binacional

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui