Guaíra – Curso de Abordagem Técnica a Tentativa de Suicídio é iniciado com a presença de diversas forças de segurança pública e saúde

0
O Município de Guaíra, por intermédio da Secretaria de Saúde, iniciou na manhã desta terça-feira (27/07) o 1º treinamento ATTS — Abordagem Técnica a Tentativa de Suicídio. Serão três dias consecutivos de treinamento, contando com a participação de profissionais da Marinha do Brasil; 15ª Companhia de Infantaria Motorizada; Corpo de Bombeiros; Polícia Militar; Segurança Pública Municipal; SAMU; Secretaria Municipal de Saúde e Hospital ASSISTE GUAÍRA.
O treinamento está sendo conduzido pelo Suboficial da Marinha do Brasil, Sr. Jalbert Azeredo Cardoz.
O ATTS foi criado pelo Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, e vem sendo replicado por abordadores devidamente qualificados que realizaram este treinamento, sendo os únicos com autorização do corpo de bombeiros para repassarem este conhecimento.
Tem por objetivo capacitar o participante a realizar a primeira intervenção em casos de ocorrências que envolvam tentativas de suicídio em locais de risco de forma técnica e segura, tanto para o abordador quanto para o tentante.
Essas novas técnicas se apoiam em uma abordagem de aproximação centrada nas questões existenciais da pessoa em crise e buscam utilizar de forma empática e humana recursos que possam levar a pessoa a encontrar significados e enxergar outras formas de soluções para os seus problemas.
Suicídio é um gesto de autodestruição, realização do desejo de morrer ou de dar fim à própria vida. É uma escolha ou ação que tem graves implicações sociais. Pessoas de todas as idades e classes sociais cometem suicídio. A cada 40 segundos uma pessoa se mata no mundo, totalizando quase um milhão de pessoas todos os anos. Estima-se que de 10 a 20 milhões de pessoas tentam o suicídio a cada ano. De cada suicídio, de seis a dez outras pessoas são diretamente impactadas, sofrendo sérias consequências difíceis de serem reparadas.
Tatiane Mazzuco Rosseto, Coordenadora de Saúde Mental do CAPS de Guaíra, diz que a primeira medida preventiva é a educação: “É preciso deixar de ter medo de falar sobre o assunto, derrubar tabus e compartilhar informações ligadas ao tema. Como já aconteceu no passado, por exemplo, com doenças sexualmente transmissíveis ou câncer, a prevenção tornou-se realmente bem-sucedida quando as pessoas passaram a conhecer melhor esses problemas.”
Formar profissionais de saúde, educadores, agentes sociais e legisladores; disponibilizar tratamentos eficazes; restringir acesso a meios letais; identificar riscos iminentes; entender problemas patológicos psiquiátricos; desmistificar o suicídio para entendê-lo por completo, com sua diversidade de causas, abolindo os estigmas e as atitudes de censura e julgamento, bem como o amplo esclarecimento a sociedade são fatores que podem colaborar, sobremaneira, para a diminuição das taxas de suicídio.
O Secretário de Saúde, Marcos Rigolon, ressalta que a formação de profissionais é um compromisso da gestão, “Esse primeiro Treinamento é um início na educação de mais agentes especializados no assunto”, destacou.
DICSI – Texto: Cíntia Marques/Foto: Gabriel Gurjão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui