Justiça vê legítima defesa e libera mulher que matou ex

0
Bicicleta de Rafael da Silva Costa no local do crime. Aos fundos, o corpo dele coberto por lençol branco. (Foto: Kísie Ainoã)

A justiça concedeu nesta segunda-feira (12) liberdade provisória  Ana Alice Barros, de 24 anos, presa em flagrante no sábado (10), depois de matar com um golpe de faca o ex-marido Rafael dos Santos Costa, de 32 anos, na casa dela, no Jardim Batistão. O magistrado de plantão, Alexandre Antunes da Silva, entendeu estarem presentes no caso indícios de que a mulher agiu em legítima defesa e não oferece risco ao andamento da investigação se ficar solta.

Já foi cumprido o despacho, na Santa Casa de Campo Grande, para onde Ana Alice foi levada no sábado, com ferimentos no braço e na mão. Segundo consta dos autos, ela vai precisar de cirurgia por causa dos cortes sofridos e está aguardando o procedimento.

Até hoje, a mulher estava sob escolta, que agora foi dispensada.

Ela ainda não teve condições de prestar depoimento, nem foi apresentada na audiência de custódia, na qual a liberdade provisória foi definida.

O boletim de ocorrências feito no sábado, na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitario) Cepol, no Bairro Tiradentes, o relato da mulher aos policiais que foram primeiro ao lugar é de que o ex-marido chegou de bicicleta, invadiu a casa dela, pulando o muro e arrombando a porta.

Segundo o relato, ele estava com duas facas. Houve briga, luta entre eles, e a mulher pegou um punhal e o atingiu no abdome.

Rafael, conhecido como “Cirilo”, segundo a mãe de Ana Alice, não aceitava o fim do relacionamento. Na invasão da casa, alegava que ela estava com algum homem.

Na casa, dormiam ela, as duas filhas pequenas, e mais uma criança, conforme as informações prestadas na hora à equipe policial.

Provas – Foram apreendidas no lugar duas facas, com quais Rafael teria chegado ao lugar, e uma terceira arma branca, que teria sido usada por Ana Alice para se defender do ataque.

Na audiência de custódia, o representa do Ministério Público de Mato Grosso do Sul concordou com os indícios de legítima defesa e com a liberdade provisória.

O caso, de acordo com o que foi levantado pelo Campo Grande News, vai ser repassado à unidade da área, a 6ª Delegacia de Polícia Civil. O registro é de homicídio simples e tentativa de feminicídio.

“Cirilo” tinha ficha policial extensa e já havia cumprido pena por roubo. Também tinha condenação por violência doméstica.

Ana Alice não têm antecedentes criminais.

 

Fonte: Campograndenews

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui