Prefeitos decidem esperar mais 30 dias para retorno às aulas

0
Prefeitos durante assembleia-geral (Foto: Edson Ribeiro)

 

Durante assembleia-geral ocorrida na tarde desta terça-feira (23), na Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande, os prefeitos decidiram ser favoráveis a ideia de esperar mais 30 dias para o retorno às aulas das escolas municipais.

A decisão saiu depois de exaustiva discussão sobre o cumprimento do protocolo de biossegurança, uma vez que a maioria dos presentes à reunião entendeu que esse não é momento oportuno para o retorno do ano letivo diante da gravidade da pandemia do novo coronavírus.

Além disso, os gestores preferem aguardar a continuidade do calendário de vacinação no Estado.

Por meio de deliberação, a diretoria da Assomasul entende necessária a prorrogação para iniciar as aulas em abril para que os municípios se adequem ao Protocolo de Retorno as Aulas, entre outros aspectos, diante da dificuldade de entrega dos insumos e Elpis (equipamento de proteção individual) licitados para cumprir as exigências de biossegurança.

A ideia inicial defendida por alguns era que os municípios seguissem o calendário escolar defendido pela SES (Secretaria de Estado de Educação), que prevê volta às aulas no dia 1º de março.

Antes da votação sobre o retorno às aulas ou não, o presidente da Assomasul e prefeito de Nioaque, Valdir Júnior, ouviu atentamente a opinião dos colegas.

O prefeito de Aquidauana, Odilon Ribeiro, falou de sua preocupação com relação ao tema, lembrando que seu município conta com 6 mil alunos, quase 900 funcionários na Educação e sugeriu equilíbrio no momento como forma de prevenir novas contaminações, principalmente de professores e alunos.

Odilon também acha complicado o controle de crianças com uso de máscaras e distanciamento social, a exemplo de outros colegas prefeitos que se manifestaram no encontro.

O prefeito de Douradina, Jean Fogaça, sugeriu o retorno às aulas somente quando todos os professores forem vacinados. Ele também pontuou as dificuldades para o cumprimento do calendário escolar alegando uma série de fatores.

 

Willams Araújo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui