Pai pede absolvição na Justiça de MS após filha revelar em carta que ele a estuprava

0
(Ilustrativa)

Foram anos sendo estuprada pelo próprio pai até a descoberta dos abusos pela mãe, que encontrou uma carta de despedida da filha que começou a ser abusada pelo homem quando tinha 13 anos, na cidade de Três Lagoas a 338 quilômetros de Campo Grande. O homem foi condenado em um primeiro momento a 33 anos de prisão, mas teve a sentença reduzida para 16 anos e 10 meses e reclusão em regime fechado.

Os estupros começaram quando a menina tinha 13 anos, e o homem sempre aproveitava da sua posição de genitor para praticar os abusos que muitas vezes eram cometidos dentro da casa da família com a esposa e outro filho no local. A menina chegou a relatar, que muitas vezes o pai levava ela para um lugar ermo e a mandava tirar a roupa, sendo que passava as mãos pelo seu corpo.

Os abusos se estendiam para dentro da casa da família, mesmo quando a menina estava na companhia do irmão, e o pai chegava por trás a agarrando e enfiando as mãos dentro da roupa da filha para apalpar seu órgão genital.

Ela ainda contou em depoimento, que o pai dizia que os estupros eram para o seu ‘próprio bem’ e que ela não podia contar a ninguém por que ele seria preso. Ela disse que nunca foi ameaçada de , mas como era seu pai ti8nha medo de fazer a denúncia.

A adolescente, então, teria passado a ter pensamentos suicidas por causa dos abusos e teria tomado vários remédios indo para a escola onde passou mal e seu pai foi chamado ao local, onde a direção da unidade escolar alertou o homem, que a menina vivia triste pelos cantos e que ela precisava de um , mas o pai teria falado para ela que não a levaria a  se não ela contaria a verdade e ele seria preso.

Os estupros foram descobertos quando a mãe da menina arrumava o quarto dela, e encontrou uma carta suicida da filha contando o que estava acontecendo com ela. O homem foi denunciado pela esposa e acabou preso sendo sentenciado em um primeiro momento a 33 anos de prisão, no dia 2 de outubro de 2020 e depois teve a redução para 16 anos.

Nesta sexta-feira (12), ele entrou com pedido de absolvição pelo crime, que foi negado por unanimidade pelos magistrados da 2º Vara Criminal de Três Lagoas.

 

Fonte MidiaMax

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui