Reinaldo recomenda lockdown, mas diz respeitar autonomia das prefeituras

0

Governador durante evento para entrega de 74 viaturas à PM e Corpo de Bombeiros (Foto: Paulo Francis)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) endossou as recomendações do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança na Economia) feitas aos municípios com bandeira preta, como é o caso de Campo Grande. A orientação é fechamento total das atividades não essenciais, para frear a curva ascendente de contaminação pelo novo coronavírus e desafogar os hospitais.

Durante evento para entrega de 74 viaturas para Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, na manhã de hoje (4), no Comando-Geral da PM, o tucano ainda reforçou a autonomia do municípios, mas apelou por responsabilidade na tomada das decisões de enfrentamento à pandemia.

“Quando a gente pede o isolamento e a manutenção das atividades não essenciais é justamente para que a gente evite o número de contágio, ao mesmo tempo, de muitas pessoas, e que pode levar à falta de leitos. Se respeitarmos o isolamento e seguirmos a ciência através do Prosseguir, mantendo só as atividades essenciais, nós ultrapassamos esse momento mais difícil”, disse Azambuja.

Além da Capital, Aquidauana e Miranda também estão na faixa de extremo risco para a covid-19, segundo critérios do programa de monitoramento do governo estadual.

O governador disse não acreditar em “lockdown total”, mas destacou, reiteradas vezes, a necessidade de frear as atividades não essenciais, como comércio varejista e atacadista, bares e restaurantes, atividades religiosas, academias, feiras e shoppings.

Temos um estudo que mostra cientificamente: bandeira preta, restrição às atividades não essenciais. Seguindo a Ciência e respeitando a autonomia dos municípios, mas com responsabilidade”, ressaltou.

Azambuja foi questionado sobre o crescente número de casos confirmados de covid-19 em Mato Grosso do Sul, e voltou a dizer que não trata as comparações com demais estados como competição.

Conforme dados de consórcio de veículos de imprensa, Mato Grosso do Sul tem o maior crescimento do País na média móvel de mortes por dia, com salto de 44% em relação a duas semanas atrás.

“Estamos fazendo todo o esforço para que não faltem os leitos de UTI. Se tem muita circulação de pessoas, e o descuido de um segmento dessas pessoas leva à contaminação e à proliferação, você pode chegar no ápice de não ter leitos”, alertou o governador.

Painel da SES (Secretaria Estadual de Saúde) indica que oito a cada dez leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em Mato Grosso do Sul estão ocupados. Campo Grande tem a situação mais grave, com taxa de ocupação em 92,5%.

A SES aponta para 27.678 casos confirmados de novo coronavírus até agora, com 433 mortes em decorrência da doença.

 

 

Fonte: CampoGrandeNews

Artigo anteriorPresídios em MS têm 318 casos de coronavírus, 252 no regime fechado
Próximo artigoPrefeitos de MS mobilizam bancada federal pela aprovação do aumento do FPM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui