Criança recebe mensagem de ‘Homem Pateta’ e mãe procura a polícia em MS

0

Desafio do Pateta incita crianças ao suicídio e polícia alerta. Imagem: Divulgação

A mãe de uma criança de 11 anos procurou a delegacia de Polícia Civil em Aquidauana, a 143 quilômetros de Campo Grande, após a filha receber mensagem de um homem vestido de Pateta. A Polícia Civil já recebeu alerta sobre o caso do Pateta, personagem usado para incitar crianças ao suicídio. Neste caso de Aquidauana, a conversa não teria se prolongado, pois a criança já havia sido instruída pelos pais e avisou assim que recebeu a mensagem.

Para entender melhor, A Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) recebeu um alerta da Polícia Civil de Santa Catarina, com orientações sobre esse novo desafio. A delegada Elaine Benicasa explicou que os suspeitos usam perfis espalhados no Facebook, com o nome de Jonathan Galindo.

Esses suspeitos se aproximam de crianças nas redes sociais começando com trocas de mensagens e avançando para mensagens de terror que incitam ao suicídio. Os alvos seriam crianças de até 12 anos.

Em Aquidauana, o caso aconteceu neste domingo (28). A mãe da criança contou que a filha recebeu a mensagem durante a noite, enquanto toda a família estava junto na residência, no Bairro Alto.

O suposto autor da mensagem se identificou pelo Instagran como JhonatanGaliindo2016 e começou a conversa com um Hola, “Olá”, em espanhol, o que pode indicar que o criador do perfil não seja do Brasil. As primeiras investigações afirmam que o desafio do Homem Pateta teria sido criado no México.

“Foi uma péssima surpresa, mas a nossa sorte é que já tínhamos alertado nossa filha sobre esse caso após assistirmos uma reportagem. Assim que ela recebeu a mensagem, lembrou do que havíamos conversado e nos mostrou rapidamente. Ficamos muito assustados e eu já bloqueei o perfil e fizemos as denúncias”, relatou a mãe ao site O Pantaneiro.

O caso pode ser enquadrado em crime de ameaça, perturbação da tranquilidade e até instigação, auxílio e consumação de suicídio, com penas que podem chegar até 20 anos de reclusão, dependendo do teor das mensagens.

A delegada alerta os pais para orientarem os filhos. “Os pais precisam trazer segurança e educação cibernética para os filhos, explicando sobre os males encontrados na internet”. Elaine ainda diz que nunca se deve deixar a criança ou adolescente trancado no quarto navegando pela internet sem supervisão. “Se for necessário, os pais devem instalar um programa espião para saber o que os filhos fazem na internet”, finalizou.

 

 

Fonte: MidiaMax/OPantaneiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui