MS estaciona nas últimas posições no distanciamento social e Campo Grande ocupa penúltimo lugar no ranking das Capitais

0

O distanciamento social faz parte do tripé indispensável para frear a velocidade do contágio pelo novo coronavírus: uso de máscaras, isolamento social e higiene redobrada. Por hora, esse é o único remédio capaz de evitar que muitas pessoas fiquem doentes ao mesmo tempo e amenizar os impactos causados pela Covid-19 no sistema de saúde.

Por um tempo, apenas as medidas adotadas pela administração estadual, foram suficientes para manter a doença sob controle no Estado, mas as últimas semanas tem sido o retrato da falta de distanciamento social, com aumento significativo de novos casos confirmados da doença em diversos municípios do Estado.

As taxas de isolamento social mapeadas pela In Loco nesta terça-feira (26.5) deixam o Estado no terceiro pior lugar do ranking das unidades da federação com índice de 37,7%. A novidade do monitoramento é o ranking das Capitais brasileiras. Com taxa de 36,9% para este dia, Campo Grande ficou em penúltimo lugar.

Taxas de isolamento mapeadas por Estados e Capitais

A menor adesão ao recolhimento e maior movimentação mapeada na Capital foi nas regiões do Seminário (19%), Pênfigo (22%), Noroeste (24%), Nova Lima (26,1%) e Tiradentes (26,3%).

Poucas pessoas estão cumprindo as regras de quarentena nos municípios do interior do Estado, e as taxas de isolamento mapeadas nesta terça-feira, variam entre 26,7% (Novo Horizonte do Sul) e 54,9% (Jateí). Confira aqui o ranking das cidades sul-mato-grossenses.

Mireli Obando, Subsecretaria de Comunicação

Foto: Edemir Rodrigues

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui