Confusão em escola com filho de PM termina em tiro e pistola roubada

0
(Foto: reprodução/vídeo)

Confusão envolvendo o filho de um sargento lotado no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) que começou numa escola estadual no Bairro Parati, em Campo Grande, terminou em pancadaria, tiro na rua e roubo da pistola do PM. O caso aconteceu na tarde de ontem (26). Lucas Lima da Silva, 20 anos, e o avô dele, Nilton Paneagua Lima, 70 anos, foram presos. A arma do policial foi localizado horas depois em cima do telhado de uma casa.

O PM relatou à polícia que, que no dia seguinte a confusão, encontrou Lucas na Rua do Piano, no Bairro Guanandi, e ao questioná-lo sobre a briga, o rapaz se alterou, e armado com um facão tentou agredi-lo. Ele, então, se identificou como policial e sacou a pistola e mandou que Lucas soltasse o facão. Porém, o rapaz não obedeceu e os dois partiram para agressão no meio da rua.

A luta se estendeu até a Rua Anicuns, até que Nilton, avô de Lucas, armado com revólver calibre 38 se envolveu na briga e, segundo relatos do sargento, apontou a arma duas vezes contra a sua cabeça. O autor, então, conseguiu tomar a pistola do sargento e chegou a disparar duas vezes em direção ao PM caído no chão. Na sequência, neto e avô fugiram levando a arma do policial. A PM foi acionada e encontrou Nilton que confirmou a situação.

Policiais do Goi (Grupo de Operações e Investigações) faziam diligências na Rua Comodoro quando encontraram uma viatura da Polícia Militar que solicitaram apoio. Após a saída da PM da residência, a equipe encontrou uma adolescente, prima do autor, que havia testemunhado o fato.

Indagada, a garota disse que Lucas estava escondido na residência. Os policiais fizeram uma varredura no local, momento em que o autor saiu de um dos quartos. Ele foi preso e a arma do policial localizada em cima do telhado de uma casa, na Avenida Engenheiro Luthero Lopes, no Aero Rancho.

Conforme Lucas, em depoimento, voltava da escola e foi surpreendido pelo PM, o ameaçando: “não quero mais te ver aqui na escola. Você bateu no meu filho. Vou te matar”. Ao mesmo tempo, o policial, segundo o rapaz, passou a desenrolar um cabo de aço dizendo: “Espera ai que vou ensinar como homem bate”. Lucas e o avô irão responder pelos crimes de lesão corporal dolosa, disparo de arma de fogo e posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. Os dois passarão por audiência de custódia na Justiça, para definir se ficarão presos ou se responderão em liberdade.

Fonte: campograndenews

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui