Com Tereza e Reinaldo, Brasil firma acordo para fortalecer controle sanitário na fronteira

0
Encontro ocorreu em Assunção, no Paraguai. Foto. Ministério da Agricultura.

Memorando de entendimento sobre temas nas áreas sanitárias animal e vegetal foi firmado nesta terça-feira (09) pelo Brasil com o Paraguai, em agenda com a ministra Tereza Cristina e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) em Assunção, no Paraguai.

O acordo trata de temas como vazio sanitário, uso de defensivos agrícolas, época de plantio de soja e a construção de um banco de vacinas público de aftosa entre os dois países, e foi firmado no encontro com o ministro da Agricultura paraguaio, Denis Lichi.

“Tratamos de assuntos de interesse entre os dois países na área sanitária animal e vegetal visando os mercados que temos em conjunto e que poderemos aumentar essa abertura de mercado entre os nossos países”, informou a ministra. De acordo com ela, haverá nova reunião a cada quadrimestre para os dois países avançarem nos temas pactuados.

Titular da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck adiantou que o acordo auxiliará MS no projeto de conquistar o status de área livre de aftosa sem vacinação em 2021.

“Foi acertado, primeiro, uma transferência de informações de produtores brasileiros e paraguaios, um controle dessas propriedades integradas, principalmente na zona de fronteira, 15 quilômetros para cada um dos lados”, detalhou. Segundo o secretário, foi estabelecido também um cronograma de ações para que se tenha sanidade animal e um controle integrado das fronteiras.

Acompanharam a comitiva de MS ao país vizinho o vice-governador Murilo Zauith, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Paulo Corrêa, e os secretários de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, e de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira.

Segurança aos pecuaristas

Credibilidade e segurança aos pecuaristas por meio do reforço integrado dos dois países é a expectativa do secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, João Guilherme Leal, em relação ao memorando. Na avaliação dele, os acordos reforçam controle nas fronteiras envolvendo questões sanitárias em cadeias como a pecuária de corte.

Já na área vegetal, explicou o secretário, o foco é na cadeia produtiva da soja, no controle da ferrugem asiática. Estão previstos ainda benefícios no controle das doenças animais e pragas vegetais.

“Também nos fortalece do ponto de vista das exportações. O serviço sanitário dos dois países mais forte nos dá condições para ampliar o mercado nesse momento importante em que o Mercosul fechou acordo com a União Europeia”, avaliou. (Com assessorias)

Artigo anteriorTereza Cristina e mais dois ministros de Bolsonaro reassumem mandato para votar reforma
Próximo artigoMaia abre sessão da Câmara para discutir em primeiro turno texto da PEC da Previdência

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui