Caldeirão e pequeno gigante da seleção local ajudam Al Ain na façanha contra River Plate

0

Tudo bem que os gols estrangeiros do sueco Berg e do brasileiro Caio, um dos destaques da vitória sobre o River Plate, fizeram a diferença. Mas a façanha realizada pelo Al Ain – a maior do futebol do País, segundo as palavras do técnico Zoran Mamic – na última terça-feira passou também pelos pés dos anfitriões. Ou melhor, mãos, do goleiro Khalid Eisa, e gargantas, de milhares de torcedores que encheram as arquibancadas do Hazza Bin Zayed, o estádio da equipe dos Emirados Árabes. Calaram muitas vezes os argentinos, silenciando de vez na defesa do pênalti final.

Torcida do Al Ain na parte de cima: locais, muitos vestidos de kandura, roupa tradicional local, calaram muitas vezes os argentinos  — Foto: Lucas Loos

Torcida do Al Ain na parte de cima: locais, muitos vestidos de kandura, roupa tradicional local, calaram muitas vezes os argentinos — Foto: Lucas Loos

Não é à toa que o goleiro titular da seleção dos Emirados Árabes foi eleito o melhor do jogo. Aliás, foi a segunda vez no torneio que recebeu o prêmio, depois de ser decisivo também na estreia contra o Team Wellington, da Nova Zelândia.

Khalid Eisa ganha o prêmio de melhor da semifinal contra o River Plate — Foto: Divulgação / Fifa

Khalid Eisa ganha o prêmio de melhor da semifinal contra o River Plate — Foto: Divulgação / Fifa

Com 1,76m de altura, considerada modesta para um goleiro, Khalid Eisa defendeu o pênalti que selou a classificação do Al Ain. Antes disso, viu Pity Martínez carimbar o travessão em outra cobrança, no segundo tempo, quando o jogo estava empatado por 2 a 2, e ainda fez 10 defesas ao longo do jogo, algumas bem difíceis. E definiu assim o feito:

“O espírito, a determinação e a vontade de vencer. Se você tem essas qualidades, você pode conquistar o que está se propondo” 

Assista à grande atuação do goleiro nos melhores momentos da semifinal do Mundial de Clubes

Um Courtois vale 218 Khalides

Nascido em Dubai, o goleiro tem 29 anos e está no Al Ain desde 2014. O valor de mercado é modesto: € 300 mil (R$ 1,33 milhão), bem abaixo se comparado ao de Courtois, seu possível adversário na final, que vale € 65 milhões (R$ 290 milhões) – ambas as cotações de acordo com o site especializado Transfermarkt. Ou seja, teoricamente, o belga vale 218 vezes mais que Khalid. Muito embora a torcida do Al Ain talvez não concorde.

A torcida também merece um destaque especial. Antes do jogo, a impressão era de que os hinchas do River Plate tomariam conta do estádio do Al Ain. Lá dentro não foi bem isso que se viu. Com muitos torcedores de kandura, tradicional roupa local, e outros poucos com a camisa do clube, a torcida dos Emirados Árabes fez muito barulho e uma festa surpreendente diante da classificação inédita, definida assim pelo técnico croata Zoran Mamic:

“É provavelmente o maior resultado da história do país. Eu estou orgulhoso de fazer parte dessa história”

O barulho, aliás, não foi apenas na hora da comemoração final. No segundo tempo, em especial, os torcedores do Al Ain empurraram o time e muitas vezes calaram os argentinos, que sentiram o golpe do empate logo na volta do intervalo.

O Al Ain aguarda o vencedor de Real Madrid x Kashima Antlers, nesta quarta-feira, às 14h30 (de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV e GloboEsporte.com, para conhecer o seu adversário na decisão de sábado, no mesmo horário. O River, por sua vez, disputará o terceiro lugar contra o perdedor, às 11h30. Todos os jogos serão no Zayed Sports City, em Abu Dhabi.

Fonte: Globo.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui