Jovem foi torturado durante 12 horas em Tribunal do Crime do PCC antes de ter corpo carbonizado

0

O rapaz encontrado carbonizado dentro do Fiat Uno, na região do Nova Lima, em Campo Grande, neste domingo (18), foi identificado como Edgar Nunes da Silva, de 22 anos. Segundo a Polícia Civil, ele teria sido julgado pelo ‘Tribunal do Crime’ do PCC (Primeiro Comando da Capital) e a ordem para a execução teria saído da Penitenciaria de Segurança Máxima da Capital.

O jovem foi assassinado com diversas facadas no pescoço e teria ficado em cárcere privado por aproximadamente 12 horas. Edgar que seria do Comando Vermelho conhecia os autores, que faziam parte da facção rival PCC. Foram presos acusados pelo crime Paulo Henrique da Silva, de 18 anos, e Fernando Barbosa da Silva de 29 anos. Um adolescente de 16 anos também estaria envolvido no crime, mas não há informações se ele foi apreendido. A polícia procura por mais dois foragidos.

Na última sexta-feira (16), Edgar teria ido até a casa de Paulo para tentar resolver o problema, mas quando chegou na residência no bairro Tarsila do Amaral acabou sendo amarrado e julgado pelo ‘Tribunal do Crime’ do PCC.

/Ele foi executado na casa a mando de presidiários da Máxima e teve o corpo queimado dentro do carro, que foi abandonado na região do bairro Nova Lima.

Paulo e Henrique estão presos e a polícia procura por mais dois homens que estariam envolvidos no assassinato.

Artigo anteriorNa Pegada da Roseta deste sábado (17)
Próximo artigoTJ-MS abre inscrições para seleção de estagiários em Mundo Novo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui