Jovem marcada com suástica no RS será indiciada por falso testemunho

0

A PC (Polícia Civil) do Rio Grande do Sul concluiu que o caso da jovem 19 anos marcada com uma suástica na barriga, trata-se de “autolesão”. De acordo com o delegado Paulo Sérgio Jardim, existem  indícios de automutilação ou de que os cortes tenham sido feitos de forma consentida.

“Pode se afirmar com convicção que as lesões produzidas na vítima não são compatíveis com as que seriam esperadas, na hipótese de ter havido efetiva resistência da parte dela à ação de um agente agressor”, concluiu o laudo técnico da PC.

Segundo o Estadão Conteúdo, a jovem será indiciada por falso testemunho.

Denúncia da jovem

A jovem relatou à polícia que foi agredida por três homens e teve a barriga marcada com uma suástica por usar uma camiseta com a frase #Elenão, no início do mês, em Porto Alegre.

De acordo com o portal BBC, a mulher relatou que, ao descer de um ônibus, três homens a abordaram por conta de usar uma camiseta que continha uma frase contra o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL). Segundo a jovem, ela foi agredida com socos e imobilizada por dois homens que com o uso de um canivete a marcaram com a suástica.

Controvérsia

O caso ganhou repercussão nacional, na época, as declarações do delegado titular da 1ª Delegacia de Porto Alegre, Paulo Jardim, foram polêmicas. Na ocasião, segundo à BBC Brasil, o delegado afirmou em entrevista que o desenho não era um símbolo extremista, mas uma marca de harmonia e amor.

“Eu fui olhar o desenho que fizeram na barriga dela. É um símbolo budista, de harmonia, de amor, de paz e de fraternidade. Se tu fores pesquisar no Google, tu vai ver que existe um símbolo budista ali. Essa é a informação”, afirmou o delegado em entrevista.

Artigo anteriorMãe ‘ouve vozes’ e abandona bebê de 1 mês na calçada do Rita Vieira
Próximo artigoMaior campeão do Interior confirma saída da Série B de MS e deve receber punição

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui