Emocionados, amigos se despedem de professora morta com golpes de crucifixo

0

O ex-presidente da Fetems, Roberto Botarelli, disse que Maria dedicou sua vida a fazer o bem às pessoas. “Ela era alegre, dedicada e solidária. Sempre lutou contra a violência contra a mulher”, disse. Botarelli ainda frisou que o nome da professora sempre será lembrado.

“Um pedaço da Fetems que está indo embora”, finalizou. A ex-secretária adjunta da Fetems, Jucli Stefanello, disse ter gratidão por ter convivido com a professora. “Queremos justiça. É mais uma mulher que se vai”, falou.

A atual presidente em exercício, Sueli Veiga, falou da revolta de como tudo aconteceu, “Muito doído, a violência de como o crime aconteceu”. Sueli ainda disse, “Foi uma vítima do que ela sempre lutou”, completou falando da lutada professora contra a violência contra a mulher.

A morte

A professora e ex-diretora da (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Maria Ildonei Lima Pedra, 70, foi encontrada morta em sua casa na noite de sábado (01), no Jardim Leblon em Campo Grande. A casa de Ildonei estava revirada com o portão aberto e, a professora foi encontrada morta na cozinha da residência.

Um filho da professora tentou contato com a mãe no sábado, e como não conseguiu, um irmão da professora então foi até a casa, encontrou o portão aberto e Maria Ildonei já sem vida dentro da residência, que estava toda revirada. Junto ao corpo foi encontrado um crucifixo, instrumento que pode ter sido usado para os golpes.

Artigo anteriorCinco mil maços de cigarros são apreendidos pela PRF
Próximo artigoLadrão usa placa de rua para roubar refrigerante de lanchonete da Calógeras

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui