Filho identificou objeto que levou à prisão de assassino de pai de santo

0
Além da capa de celular, também foram encontradas trouxinhas e maconha

Uma capa de celular ajudou os investigadores da 5ª Delegacia Civil a chegarem até o autor do assassinato do pai de santo Michael Morgan Noronha Andreoli, morto por asfixia no dia 30 de julho.

O objeto foi encontrado na casa de Leonardo Rodrigues, de 24 anos, e reconhecido pelo filho da vítima.

Durante buscas na casa do principal suspeito, os policiais encontraram a capa de um celular e levaram para reconhecimento. O filho da vítima apontou como sendo objeto pessoal do seu pai, já que “tinha cheiro do perfume dele”.

Leonardo foi preso na casa de um amigo, nesta quinta-feira (30), e teria confessado o crime. Ao delegado responsável pelo caso, Ricardo Meirelles, o suspeito justificou que estava sendo chantageado por ter um “caso” com o pai de santo.

Por depoimento, o autor relatou que se encontrava escondido com Michael e começou a ser chantageado por ele. Com medo que as pessoas descobrissem a relação entre os dois, Leonardo marcou um encontro e enforcou o pai de santo com um fio de telefone.

Segundo o autor do homicídio, imagens com cena de sexo gravadas sem consentimento estariam no computador e no celular da vítima e por isso os itens foram roubados após o assassinato.

A Polícia Civil foi até o terreiro onde o homem atendia, na Vila Piratininga, e encontrou uma falsa lâmpada com uma câmera de filmagem escondida dentro.

Além da capa do telefone, na residência de Leonardo também foi encontrada 500 g de cocaína divididas em 26 trouxinhas.

Para o delegado Ricardo Meirelles, o autor é “uma pessoa perigosa porque além de cometer um assassinato cruel ele também traficava. Além disso, tinha passagem por tráfico de drogas”.

Dia do Crime

Conforme a versão apresentada na delegacia, após ser chantageado, o suspeito marcou um encontro com o pai de santo com o intuito de cometer o assassinato e destruir as supostas filmagens.

O autor teria aproveitado que a vítima tirou a roupa e provocou a morte por estrangulamento com fio de telefone. Após o crime, ele pegou o notebook e o celular e foi embora.

Alguns momentos depois, ficou escondido na casa de um amigo de infância e confessou à mulher dele que “teria cometido uma besteira”.

Leonardo Rodrigues vai ser indiciado por homicídio qualificado com meio cruel sem defesa da vítima e por motivo torpe.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui