Paulo Corrêa fala sobre gravidade do reaproveitamento de peças de aeronaves e destaca trabalho da DECO

0
171

O deputado Paulo Corrêa usou a tribuna da Assembleia durante a sessão desta terça-feira (30/03) para falar sobre a investigação que desmantelou uma rede de desmanche e reaproveitamento clandestino de peças de aeronaves em Mato Grosso do Sul.

O parlamentar também apresentou uma Moção de Congratulação direcionada para a Delegada Ana Claudia Medina, titular da DECO (Delegacia Especializada no Combate ao Crime Organizado de MS), extensiva a toda a equipe que trabalhou na investigação.

O trabalho durou dois anos e no último domingo foi destaque de uma das reportagens do Fantástico, apontando que várias mortes podem ter sido causadas pelo uso de peças reaproveitadas.

“Muito importante o trabalho liderado pela delegada Ana Claudia Medina, que foi descobrindo ao longo do caminho todas as falcatruas que eram feitas em oficinas, e com isso a ANAC se dobrou e criou um novo departamento para investigar e credenciar as oficinas mecânicas. Vidas foram perdidas e fica o sofrimento de famílias por conta de irresponsabilidade de pessoas que deveriam ser presas”, disse Paulo Corrêa ao ler a Moção.

De acordo com a investigação as peças usadas eram reaproveitadas em manutenções de aviões de pequeno porte que fazem vôos privados e de táxi aéreo.

Das 14 oficinas vistoriadas, 8 eram clandestinas  e, mais de 300 peças, avaliadas em R$ 2 milhões, foram apreendidas, todas com número de série adulterados ou sem comprovação da origem.

Um cemitério de peças ao lado da maior oficina de aeronaves de Mato Grosso do Sul também foi encontrado e os policiais descobriram o uso até de peças artesanais no conserto dos aviões.

A investigação apontou ainda que a queda de pelo menos 3 aviões com mortes podem ter sido causadas pelo uso de peças recuperadas. Entre as vítimas está o piloto Marcos Xavier e o advogado Marcos Túlio. Além disso, a aeronave que fez um pouso forçado enquanto transportava a família do apresentador Luciano Huck e aeronaves clonadas e utilizadas para tráfico de drogas também podem ter sido recuperadas com pelas condenadas.

Com a descoberta, a ANAC (Agência Nacional de Aviação) intensificou as vistorias nas oficinas de todo o País e criou, após a investigação, uma superintendência com o objetivo de prevenir a manutenção clandestina e o táxi aéreo pirata.

“Queremos agradecer a DECO, a delegada Medina, toda a equipe da Polícia Civil, que investigou a fundo tudo isso e conseguiram descobrir com precisão coisas que estavam colocando em risco a vida de tantas pessoas e que resultou em mudanças na ANAC”, finalizou o parlamentar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here